domingo, 23 de junho de 2013

SUBSTANTIVOS COLETIVOS

   Muitos alunos questionam se é necessário, para vestibulares e concursos, decorar os principais substantivos coletivos existentes. Acho que seria mais útil termos apenas a informação de que o substantivo coletivo nada mais é do que um substantivo no singular capaz de nomear um grupo de elementos. A partir daí, encontraríamos, por interpretação, como isso poderia ser abordado em uma prova.

   Infelizmente, para muitos concursos (principalmente os ainda presos no passado, que cobram a decoreba de regras simplesmente) é necessário decorar, entre outros, desde os mais simples: quadrilha é o coletivo de ladrões, buquê é coletivo de flores, arquipélago é o coletivo de ilhas, cardume é o coletivo de peixes; aos mais complexos: alcateia é o coletivo de lobos, cáfila é o coletivo de camelos, vara é o coletivo de porcos, molho é o coletivo de chaves.

   No entanto, para vestibulares, o mais importante é estudar como esses substantivos coletivos podem aparecer ligados à interpretação textual. A prova da UFSM, por exemplo, já cobrou que o substantivo gurizada é o coletivo de "guris", e isso provavelmente não se encontra em nenhuma gramática. Percebemos que a alternativa é verdadeira unicamente pela interpretação do texto. Um ótimo exemplo de como isso poderia aparecer nos vestibulares atuais é a tirinha abaixo:


   Alguém discorda do personagem acima?

   A questão poderia abordar a crítica implícita na tirinha por meio da atribuição de partido político (em vez de quadrilha) como coletivo de ladrões.

   Beijos!

Nenhum comentário:

Postar um comentário